Perder peso? Há bactérias no intestino que são grandes aliadas no controlo do apetite 1116

Algumas bactérias que habitam o nosso intestino podem ter um papel preponderante na prevenção e tratamento do excesso de peso e da obesidade, doenças que, no seu conjunto, afetam mais de metade da população portuguesa. A obesidade, há muito considerada um problema de saúde pública, pode desencadear e agravar outras patologias como a diabetes, doenças cardiovasculares, musculoesqueléticas, doenças neurodegenerativas e alguns tipos de cancro1.

O intestino é, como sabemos, o órgão responsável pela absorção dos alimentos, permitindo que os minerais, as vitaminas e nutrientes sejam aproveitados pelo organismo. Não é, por isso, de estranhar que seja habitado por triliões de microrganismos, como bactérias essenciais para a nossa saúde e bem-estar, fungos, vírus e protozoários, cuja convivência deve ser o mais harmoniosa possível, inclusive se o objetivo for também a gestão do peso.

A microbiota intestinal, onde se encontram todos estes microrganismos – maioritariamente bactérias – é essencial na monitorização e no controlo do equilíbrio metabólico e dos gastos energéticos. Se a nossa microbiota intestinal estiver desequilibrada (disbiose) torna-se incapaz de regular o apetite, a saciedade e o armazenamento de energia2.

Algumas bactérias podem ser grandes aliadas na gestão do peso corporal. É o caso das enterobactérias da estirpe Hafnia alvei HA4597®, que produzem uma proteína – a ClpB – que atua no controlo do apetite, suprimindo a fome e, em simultâneo, gerando uma saciedade precoce3.

Está demonstrado em diversos estudos que o cérebro e o intestino comunicam de forma dinâmica e complexa através de diferentes vias, cujo equilíbrio depende da composição da comunidade microbiana que habita o intestino4. Ou seja, a microbiota intestinal pode influenciar a libertação de transmissores, hormonas que ajudam a modular o apetite e a sensação de saciedade3.

A proteína ClpB produzida pelas enterobactérias Hafnia alvei tem a capacidade de comunicar com os neurónios responsáveis pela sensação de saciedade, ao nível do hipotálamo, daí que se apresente como um probiótico promissor na gestão de peso e da obesidade.

SYMBIOSYS Satylia® é um suplemento alimentar para adultos que combina a estirpe probiótica única Hafnia alvei HA45974 com os minerais essenciais zinco e crómio. O zinco contribui para o metabolismo normal dos macronutrientes (incluindo hidratos de carbono e ácidos gordos) e crómio, contribui para a manutenção dos níveis normais de glicose no sangue.

SYMBIOSYS Satylia está disponível em embalagens de 60 cápsulas. É fácil de tomar: duas cápsulas ao dia, uma ao pequeno-almoço e outra ao almoço, com um copo de água. Deve ser complementado com um estilo de vida saudável e uma dieta rica e variada e equilibrada.

 

SUPLEMENTO ALIMENTAR. O efeito benéfico é obtido com a toma diária de 2 cápsulas. Para mais informações consultar a rotulagem. Contacto: Biocodex Unipessoal Lda., Avenida Da República 18, 11°, 1050-19 Lisboa, NIPC 515036684. Email:info@biocodex.pt. Tel:211319134
ST.0049/2021

Referências Bibliográficas:
1. Blüher M. Obesity: global epidemiology and pathogenesis. Nat Rev Endocrinol. 2019;15(5):288-298
2. Lee Clare J et al. Gut microbiome and its role in obesity and insulin resistance. Ann N Y Acad Sci. 2020;1461(1):37-52.
3. Lucas, Nicolas et al. “Hafnia alvei HA4597 Strain Reduces Food Intake and Body Weight Gain and Improves Body Composition, Glucose, and
Lipid Metabolism in a Mouse Model of Hyperphagic Obesity.” Microorganisms vol. 8,1 35. 23 Dec. 2019, doi:10.3390/microorganisms8010035
4. Torres-Fuentes C et al. The microbiota-gut-brain axis in obesity. Lancet Gastroenterol Hepatol. 2017 Oct;2(10):747-756.

Envie este conteúdo a outra pessoa