ONU e OMS lançaram estratégia para vacinar 40% da população mundial até ao fim do ano 281

A Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciaram, esta quinta-feira, uma nova estratégia de vacinação contra a covid-19 para inocular 40% da população mundial até ao final do ano.

O plano necessita de uma verba a rondar os 6,9 mil milhões de euros para assegurar uma distribuição equitativa. Desta forma, a ONU e a OMS pretendem alcançar a vacinação de 70% da população mundial até meados de 2022.

O anúncio foi feito pelo diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, em conjunto com o secretário-geral da ONU, António Guterres, em conferência de imprensa, acompanhada pela agência Lusa.

O objetivo imediato passava por vacinar pelo menos 10% da população de cada país até ao final de setembro. Contudo, “a meta não foi alcançada em cerca de 56 países”, consideraram os responsáveis, citados pela agência de notícias.

“Se pudermos mobilizar cerca de 8 mil milhões de dólares para garantir que a distribuição seja equitativa, podemos alcançar 40% das pessoas em todos os países até o final do ano”, revelou António Guterres, citado pela Lusa.

Os responsáveis pela estratégia pediram a todos os líderes políticos do mundo para atualizem os planos de vacinação nacionais para os alinharem com os objetivos anunciados pela ONU e OMS.

Além disso, a OMS pediu “licenciamentos não exclusivos” aos produtores de vacinas para os países, dado que existe a necessidade de se ter distribuição equitativa de vacinas que apoiem os programas de vacinação nas respetivos nações.

Já os bancos de desenvolvimento regionais devem dar acesso mais rápido ao capital e ajudar os países em desenvolvimento através de “mecanismos de apoio internacional” para a “aquisição de vacinas”.

António Guterres considerou que “cabe aos Estados-Membros unir-se e fazer o que for necessário para que esta estratégia seja bem-sucedida”. O secretário-geral da ONU acrescentou ainda que os líderes políticos, dos países pertencentes ao G20, terão uma “oportunidade”, na cimeira do grupo de 30 e 31 de outubro, em Roma, para ajudar a concretizar a promessa de vacinar a população mundial.

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, explicou que os objetivos ainda podem ser atingidos, caso exista um maior “compromisso e cooperação” por parte dos líderes políticos.

Até ao momento, foram administradas 6,4 mil milhões de doses em todo o mundo e quase um terço da população mundial já está completamente protegida. No entanto, 75% de todas as vacinas destinaram-se aos países desenvolvidos.

Em sentido inverso, os países menos desenvolvidos receberam menos de 1% do total de vacinas, sem esquecer que, no continente africano, apenas 5% da população está vacinada com as duas doses.

Envie este conteúdo a outra pessoa