Monkeypox: DGS recomenda que vacinação seja feita pós-exposição a casos confirmados 323

A Direção-Geral da Saúde (DGS) publicou esta quarta-feira uma norma em que recomenda que a vacina contra a infeção humana pelo vírus Monkeypox seja administrada após contacto próximo com casos confirmados.

“A vacina é recomendada, à data, num contexto de pós-exposição, ou seja, para pessoas identificadas como contactos próximos de casos notificados, uma vez que pode prevenir ou atenuar as manifestações clínicas da infeção humana por vírus Monkeypox”, refere a DGS em comunicado, citado pela Lusa. A DGS sublinha no documento que, “idealmente, a vacinação deve ser realizada nos primeiros quatro dias após o último contacto próximo com um caso, podendo esse período ir até 14 dias se a pessoa se mantiver sem sintomas”.

Os contactos “deverão ser indicados após a notificação de um caso suspeito para que sejam contactados e emitida declaração para a vacinação num dos pontos de vacinação definidos por cada região de saúde”, adianta. As autoridades de saúde reforçam a importância da identificação de pessoas que estiveram em contacto próximo com casos diagnosticados, “com a máxima celeridade”, para que possa ser orientada a vacinação”.

Segundo a DGS, em Portugal estavam confirmados até quinta-feira passada 473 casos de infeção humana pelo vírus Monkeypox, um aumento de 71 casos numa semana.

WordPress Ads

Envie este conteúdo a outra pessoa