Koen Straetmans e Risto Kanerva eleitos para a presidência do Grupo Farmacêutico da União Europeia 106

Koen Straetmans (Associação de Farmacêuticos Belga) e Risto Kanerva, (Associação de Farmácias Finlandesa), foram eleitos, respetivamente, presidente e vice-presidente do Grupo Farmacêutico da União Europeia (PGEU).

“O grupo esteve reunido em Assembleia Geral, no dia 14 de junho, em Roma, para eleger os seus órgãos sociais para o ano de 2023 e discutir os principais temas legislativos, económicos e profissionais de âmbito farmacêutico na União Europeia“, explica a Ordem dos Farmacêuticos (OF) em comunicado. Os novos responsáveis sucedem aos representantes de Itália e Áustria, Roberto Tobia e Raimund Podroschko, que prosseguem o mandato até ao final deste ano.

No discurso após a eleição, Koen Straetmans revelou-se empenhado em “trabalhar estreitamente com a equipa do PGEU e todos os membros do PGEU para garantir que as opiniões dos farmacêuticos comunitários são levadas em consideração no processo de tomada de decisão da União Europeia e que o novo quadro regulamentar ajude a nossa prática diária na farmácia e traga benefícios tangíveis para os doente”.

Precisamos de garantir que a nova legislação introduz medidas eficazes para melhorar a disponibilidade de medicamentos e mitigar a sua escassez. Também precisamos de assegurar que a criação do Espaço Europeu de Dados de Saúde moldará a transformação digital de uma maneira que realmente apoie os farmacêuticos, que promova a colaboração interprofissional, que assegure a proteção de dados, garanta transparência e facilite a recolha de dados para melhorar as decisões regulamentares e avançar o progresso científico”, acrescentou.

No dia seguinte à Assembleia Geral, os membros do PGEU participaram no Simpósio subordinado ao tema “O Futuro da Legislação Farmacêutica da União Europeia”, onde abordaram “os temas do acesso a medicamentos, informação aos doentes, com especial ênfase nos folhetos informativos digitais, e a geração de evidência em contexto de vida real na regulação de medicamentos, que contou com a participação da farmacêutica portuguesa, Ema Paulino”, destaca a OF.

Envie este conteúdo a outra pessoa