INFARMED: Reações adversas a medicamentos quase duplicou em menos de um ano 0 170

O Sistema Nacional de Farmacovigilância do INFARMED registou, no primeiro semestre de 2018, em média 30 casos de reações adversas graves a fármacos por dia, sendo que em 2017 foram reportados 17 casos por dia.

Os números são revelados na edição desta segunda feira do “Jornal de Notícias”, que acrescenta que até hoje foram notificados 5.385 mil casos. O INFARMED acredita que até ao final de dezembro irão ultrapassar os números do ano anterior que atingiram os 6 mil.

Um terço dos casos aconteceu na população idosa, sendo que os mais severos ocorreram em doentes oncológicos. No entanto, o mesmo jornal adianta que o crescimento de notificações não significa que deva haver uma maior preocupação com qualidade e segurança dos medicamentos.

Em 2017, foi lançado um portal RAM (Reações Adversas ao Medicamento), tanto para profissionais, como para utentes. Ainda assim, a maior parte das notificações continuam a ser feitas pela indústria e só depois por médicos e farmacêuticos.

«Ainda há muito a fazer, pois estamos abaixo o espectável na notificação, segundo estudos internacionais» explica Sofia Oliveira Martins, vogal do Conselho Diretivo da INFARMED.

O INFARMED lança hoje uma campanha nas redes sociais de apelo à notificação das reações adversas a fármacos.

Envie este conteúdo a outra pessoa