Farmácias sem medicamentos para várias doenças 500

De acordo com dados da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P. (Infarmed), as farmácias notificaram falta de medicamentos para tratar doenças como a pneumonia, gripe e constipação.

Dados do Infarmed, cedidos ao Correio da Manhã (CM), indicam que o que mais faltou nas farmácias portuguesas foram vacinas (Prevenar 13 e Pneumovax 23) contra o pneumococo (bactéria responsável pela maioria das pneumonias e meningites nos adultos).

Estas vacinas não fazem parte do Programa Nacional de Vacinação, no entanto, são recomendadas para os idosos.

Na lista dos medicamentos que mais faltaram consta ainda um spray (Dymista) para tratar congestão nasal provocada por constipações, gripes, sinusite e rinite.

Além disso, faltaram também ansiolíticos (Victan 2 mg – 20 e 60 unidades) para a ansiedade, e antipsicóticos (Tercian 100 mg – 60 unidades) para doenças psiquiátricas.

No Top 5 dos medicamentos em falta, encontra-se também Carveject, um fármaco para a disfunção erétil.

Envie este conteúdo a outra pessoa