Estudo: Cegueira atinge 36 milhões de pessoas em todo o mundo e número pode triplicar até 2050 0 95

Estudo: Cegueira atinge 36 milhões de pessoas em todo o mundo

 


03 de agosto de 2017

Um estudo divulgado hoje na publicação The Lancet Global Health indicou que a cegueira atinge 36 milhões de pessoas em todo o mundo, número que poderá triplicar em 2050, afetando sobretudo a Ásia e a África Subsariana.

De acordo com as estimativas apresentadas no estudo, em 2050 haverá quase 115 milhões de cegos (mais 79 milhões face a 2015) e 588 milhões de pessoas com dificuldade de visão moderada a grave (mais 371 milhões em relação ao mesmo ano) se os tratamentos não melhorarem.

O maior número de pessoas cegas vive no sul, leste e sudoeste da Ásia, sendo que a taxa de cegueira entre idosos é mais elevada no sul da Ásia e na África Subsariana oriental e ocidental, avança a “Lusa”.

O estudo analisou a prevalência da cegueira e da deficiência visual em 188 países, entre 1990 e 2015, e faz projeções para 2020 e 2050.

Trata-se do primeiro trabalho a incluir dados sobre a presbiopia, uma anomalia da visão mais conhecida como “vista cansada”.

Depois de um período em que as taxas de cegueira e de deficiência visual caíram, os números voltaram a subir à medida que a população mundial vai crescendo e envelhecendo: em 2015 havia mais 5,4 milhões de cegos e mais 57 milhões de pessoas com dificuldade de visão moderada a severa do que em 1990.

Este estudo vem, assim, alertar para a importância do investimento nos tratamentos, salientando que, entre 1990 e 2010, a prevalência da cegueira diminuiu fruto dessa aposta.

«Investir em tratamentos já trouxe benefícios consideráveis, incluindo a melhoria da qualidade de vida», afirma o autor principal do estudo, Rupert Bourne, da Universidade Anglia Ruskin, no Reino Unido, citado em comunicado pela The Lancet Global Health.

Envie este conteúdo a outra pessoa