Notícias / Farmácia

Venezuela: Estados Americanos pedem colaboração no apoio a diabéticos

 

 

08 de agosto de 2018

A Organização de Estados Americanos (OEA) exigiu, ontem, ao Governo da Venezuela a abertura de um canal humanitário no país sul-americano, com vista a facilitar o acesso aos medicamentos a diabéticos, devido à escassez e aos elevados preços praticados no país.

Esta exigência surgiu depois de o secretário-geral da OEA, Luís Amargo, ter recebido uma «carta da Associação de Diabéticos do Uruguai (ADU)» a denunciar os 1,3 milhões de diabéticos venezuelanos, «em que 130 mil vivem com diabetes Tipo 1 que dependem da insulina para viver e não recebem tratamento pela falta de stock no sistema de saúde da Venezuela».

«A existência e acessibilidade de materiais para o tratamento de diabetes (insulinas, fitas reativas para o controlo da glicemia, alimentação, entre outros) encontra-se gravemente comprometida o com falta de stock total em grande parte do sistema de saúde da Venezuela», lê-se na carta divulgada, que a agência “Lusa” teve acesso.

No documento, a ADU solicita, por isso, «a instalação de um corredor humanitário com garantias, que facilite a colaboração, através de países da região e de parte dos organismos internacionais que estão na disposição de colaborar», nesta situação de crise, para as pessoas venezuelanas com diabetes.