Notícias / Saúde

PS e Bloco rejeitam vacinação obrigatória

 

 

11 de outubro de 2018

O Parlamento debate esta quinta-feira uma petição que pede que se comece a discutir a obrigatoriedade da toma das vacinas do Plano Nacional de Vacinação (PNV). PS e Bloco de Esquerda estão contra a vacinação obrigatória.

Da autoria da jornalista Margarida Vaqueiro Lopes, a petição contou com perto de 10 mil assinaturas. Do outro lado está o “Movimento Antivacinas”, que ganhou destaque com os surtos de sarampo verificados nos últimos meses.

O jornal "i" revela que o Partido Socialista prefere apostar na sensibilização em vez da obrigação. Ouvido pelo jornal, o deputado socialista António Sales garante que a aposta passa por «intensificar» as campanhas pela vacinação, mostrando-se satisfeito com a taxa de cobertura do PNV «na ordem dos 98%».

Também o Bloco de Esquerda alinha com este discurso, e, pela voz do deputado Moisés Ferreira, garante que «a adesão voluntária à vacinação é muito melhor do que a obrigatoriedade».

À esquerda, o PCP mostrou abertura para considerar tornar obrigatória a vacinação — «em nome da defesa da saúde pública», defendeu Jerónimo de Sousa em 2017. Da parte do PSD há «abertura” para um debate “em que todos os cenários estão em cima da mesa», admite o deputado António Baptista Leite.

Em maio de 2017, o Parlamento rejeitou a proposta do CDS que queria impedir crianças sem a vacinação em dia de se matricularem na escola. PS, BE, PCP, PEV e PAN votaram contra.