Notícias / Farmácia

Angola vende medicamentos portugueses ao triplo do preço

 

 

09 de agosto de 2018

As farmácias angolanas comercializam medicamentos portugueses três vezes mais caros do que os valores praticados em Portugal, avançou o jornal angolano “O País”. Em causa está a garantia de qualidade oferecida pelo medicamento português face à angolana, fator que leva a população a preferir o produto de origem lusitana.
 
«Em regra, os pacientes vêm com a recomendação médica para não adquirem medicamentos de origem indiana. Apenas e só os provenientes de Portugal e no pior dos cenários, os de laboratórios europeus», referiu um farmacêutico de Luanda, revelando que a origem portuguesa do medicamento é um critério básico para uma «boa venda» na farmácia.

A apresentação destes medicamentos mantem-se igual à original, contemplando a etiqueta com a referência, o valor em euros e ainda a inclusão do IVA, uma vez que esta «é uma boa forma de provar aos clientes de que o produto é português», explicou o mesmo farmacêutico. No entanto, os produtos são vendidos na moeda angolana. 

Os medicamentos portugueses podem chegar a ser 10 vezes mais caros que os de origem indiana, um fator que leva os farmacêuticos a vendê-los em blisters.