Notícias / Farmácia

Candidatura do Porto à sede da EMA colhe elogios em Bruxelas

 


12 de outubro de 2017

A candidatura do Porto à sede da Agência Europeia do Medicamento (EMA) colheu ontem elogios de vários eurodeputados do Partido Popular Europeu (PPE), em Bruxelas, que destacaram como a comunidade civil da cidade está envolvida neste projeto.

Por iniciativa do eurodeputado social-democrata Paulo Rangel, após sugestão da comissão da candidatura do Porto à EMA, um grupo de 20 pessoas, entre reitores de instituições públicas e privadas de ensino superior do Porto, representantes de estruturas culturais da cidade, da Área Metropolitana do Porto e da Associação Comercial do Porto estiveram esta tarde no Parlamento Europeu a apresentar o que a cidade tem para oferecer.

O encontro decorreu com Manfred Weber, presidente do grupo do PPE, e com os eurodeputados Alain Lamassoure (França), Esteban Gonzalez Pons (Espanha), Dubravka Suica (Croácia) e Andrey Kovatchev (Alemanha). Esteve também presente o eurodeputado polaco do Grupo dos Conservadores e Reformistas Europeus Kazimierz Ujazdowski.

Esteban Pons disse abertamente que, depois de atribuir a pontuação máxima (três votos) a Barcelona, cidade que está entre as 19 candidatas à sede da EMA, os eurodeputados espanhóis do PPE escolherão o Porto (atribuindo-lhe dois votos).

Para Paulo Rangel, «é nessa contabilidade dos votos segundos que talvez se faça a diferença para saber quem passa a uma fase seguinte».

«Eu diria que está tudo em aberto, não tanto no sentido de ganhar, mas de passar à fase seguinte. Não vamos entrar em triunfalismos bacocos», disse aos jornalistas.

Rangel admitiu ter ficado surpreso com o elogio feito pelos eurodeputados ao facto de a apresentação envolver a sociedade civil do Porto, afirmando que isso significa que há «toda uma cidade que está unida em volta» do projeto.

O social-democrata destacou ainda o «empenho forte e genuíno» do Governo e dos embaixadores nesta candidatura, lembrando que a diplomacia portuguesa conta já com «dois grandes feitos», designadamente ter Durão Barroso como presidente da Comissão Europeia durante 10 anos e António Guterres como secretário-geral das Nações Unidas.

Eurico Castro Alves e Ricardo Valente, da Comissão da candidatura do Porto à sede da EMA, fizeram um balanço positivo desta iniciativa.

«Este momento foi muito importante, porque com a ajuda dos eurodeputados [portugueses], todos sem exceção, sentimos um empenhamento grande. Falámos com pessoas que são estratégicas para a decisão final, porque são influenciadores. Passámos a nossa mensagem e acabámos de vez com aquele mito de que o Porto não cumpre com os requisitos», disse Eurico Castro Alves.

O vereador da Câmara do Porto Ricardo Valente destacou também a importância de demonstrar aos decisores em Bruxelas «as valências do Porto».

«O próximo mês é para trabalhar junto dos decisores finais e dar a conhecer a parte menos conhecida do Porto, que tem a ver com o health cluster e as universidades» existentes e suas ofertas, disse.