Notícias / Saúde

Governo promete diálogo e firmeza nas negociações com sindicatos da Saúde

 


10 de novembro de 2017

O ministro da Saúde prometeu hoje «diálogo e máxima tolerância» com as greves anunciadas no setor, mas avisou que haverá «firmeza» nas negociações porque a capacidade do país «não é infinitamente elástica», apelando ao «bom senso» dos sindicatos.

Em Riba d'Ave, Vila Nova de Famalicão, onde esteve presente para uma conferência dedicada ao tema "As Misericórdias e a Saúde", Adalberto Campos Fernandes avisou que o Governo não pode «ceder em toda a linha», avançou a "Lusa".

Confrontado com a jornada de greve dos médicos marcada para dia 24, o ministro referiu que «não é com greves por tempo indeterminado» que se vai resolver qualquer problema.

«Nós não podemos ceder em tudo e em toda a linha porque não queremos contribuir para que o país volte para trás e volte a passar por momentos que já passou», disse, apelando ao «bom senso» dos sindicatos.

«O apelo que nós fazemos aos sindicatos é um apelo que tem que ver com a chegada a uma posição de intermédio e de bom senso e de equilíbrio», afirmou.

«Não é por termos greves - como é o caso de uma das áreas - decretadas por tempo indeterminado [anunciada e a ser cumprida pelos técnicos de diagnóstico e terapêutica] que o Governo se vai esquecer do resto do país», avisou.