Notícias / Farmácia

BE não quer canábis à venda nas farmácias



12 de fevereiro de 2018

O Bloco de Esquerda (BE), que defende há muito a legalização da canábis, não quer que esta seja vendida nas farmácias.

O partido defende a venda da canábis em locais específicos. Ao jornal “Sol”, Moisés Ferreira, deputado bloquista, argumentou que «a venda em farmácias acaba por confundir os fins - a medicinal e a recreativa».

Neste sentido, o BE está focado na discussão que está a acontecer no parlamento sobre o uso da canábis para fins medicinais. Só quando este processo estiver concluído poderá avançar com o projeto de lei destinado a regulamentar o consumo para fins recreativos.

De acordo com o afirmado por Moisés Ferreira, ainda ao “Sol”, a legalização permitirá combater o tráfico, salvaguardar a saúde pública e garantir a qualidade do produto. «A regulamentação é o caminho. O que acontece atualmente é que não há nenhum tipo de regras. Não há regras de controlo de qualidade».

Os bloquistas defendem ainda que deve ser a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (INFARMED) a definir as regras «a que deve obedecer o controlo de qualidade das substâncias disponibilizadas».

Este diploma mereceu o voto favorável de dez deputados do PS enquanto a maioria optou pela abstenção. Depois desta discussão, os socialistas aprovaram, na Comissão Nacional, uma moção da JS a defender a legalização das drogas leves.